sábado, 15 de junho de 2013

Manchester gastou quatro vezes mais do que Porto




O Manchester United gastou quatro vezes mais do que o FC Porto para construir o plantel que se sagrou campeão esta época. Entre os vencedores das principais ligas europeias, nenhum outro clube investiu tanto para chegar ao título, embora os red devils o tenham feito de uma forma bem mais diluída no tempo do que o novo-rico Paris Saint-Germain.
Os campeões da Premier League tiveram de desembolsar 345 milhões de euros para juntar os 26 heróis de Old Trafford, entre os quais sete oriundos das camadas jovens do clube, como Ryan Giggs e Paul Scholes, presentes nas ‘fotos de grupo’ ao longo das últimas duas décadas.
No fim da lista encontra-se o FC Porto. Os ‘dragões’ precisaram apenas de 78 milhões para fazer a festa no Campeonato – aproximadamente um terço do valor gasto por Bayern Munique, Juventus e Barcelona, de acordo com dados do portal alemão Transfermarkt, especializado no mercado.
Em Espanha, os catalães continuam a mostrar que a formação pode ser a chave para o sucesso. A aposta em 12 ‘canteranos’ voltou a dar frutos e o Barça recuperou o título que tinha deixado fugir para o Real Madrid. Ainda assim, 229 milhões foram investidos para rechear o plantel com mais 11 talentos.
Uma estratégia que não é seguida pela Juventus, que recrutou 27 dos 29 jogadores que a levaram ao ‘altar’ da Série A. No talão de compras destaca-se Gianluigi Buffon que em 2001 passou a calçar as luvas da vecchia signora a troco de 54 milhões de euros.
Na vizinha França, os adeptos do Paris Saint-Germain encheram os Campos Elíseos para celebrar uma conquista que escapava há 19 anos, quando era Artur Jorge o treinador. O feito só foi possível graças à injecção de capital árabe nas últimas duas épocas: 255 milhões em 24 jogadores.
Quem não entra em loucuras é o Bayern Munique. O actual plantel, formado ao longo de vários anos, custou uma verba idêntica ao da Juventus e do Barcelona, tendo conquistado a Liga e a Taça da Alemanha e ainda a Liga dos Campeões. Inspirados pela Chanceler Angela Merkel, os bávaros deixaram todos os adversários em austeridade.
Sol