terça-feira, 2 de julho de 2013

Jogos em casa: vende-se ou usa-se o canal próprio?

Parece que a partir da próxima semana a slb vai estabelecer um preço de subscrição de 10 euros/mês para quem quiser ver o seu canal, o que reacendeu o tema «Vale a pena vender os direitos à Olivedesportos, ou é melhor transmitir os jogos na nossa própria TV?».
A minha opinião sobre este tema mantém-se: a única certeza que tenho é que transmitir os próprios jogos não se trata de todo de uma galinha dos ovos de ouro. Mas para além dessa certeza, acho que tanto é possível que venham a fazer mais lucro (algum, não muito) do que se tivessem vendido os direitos, como é possível que fiquem a perder algum dinheiro (o que acho ligeiramente mais provável).
Façamos as contas: o ponto de referência é o que a Olivedesportos lhes pagaria, que seria cerca de 20M/ano (ou até um pouco mais: digamos 24M). 24M/ano é o equivalente a 200mil subscritores a pagar 10 euros/mês. Mas a estas receitas há que descontar os custos de operação (incluindo os direitos de transmissão da Premier League) e a % a descontar para o operador por cabo - que certamente não chegarão sequer a ser compensadas pelas receitas de publicidade e revenda de direitos para o estrangeiro.Ora a SportTV terá hoje uns 300mil subscritores (e isto tendo até agora todos os jogos do slb), ou até menos do que isso. Com a diferença de que a SportTV vai continuar a ter uma panóplia de produtos na oferta, começando por todos os jogos de FCP e SCP (excepto na luz), jogos do slb fora, e todos os jogos da Liga dos Campeões. Ou seja, vai continuar a haver mais jogos do slb na SportTV do que na slb TV, e muito mais. Sendo assim parece-me difícil que a slb TV consiga no melhor dos casos chegar ou ultrapassar os tais 300mil a que a SportTV tinha conseguido chegar. Logo à partida, todos os particulares que não são lampiões vão-se recusar a subscrever o canal, o que elimina mais de metade da população; em seguida, uma grande maioria dos lampiões mais racionais a ter que escolher vão preferir a Sport TV, indo ver os jogos em casa do slb ao estádio, ao café ou a casa de um amigo (e já nem falo em pirataria na Net); sobra portanto como público-alvo os lampiões que não têm preocupações financeiras, os lampiões mais ferrenhos e os não-particulares (cafés, restaurantes, ...). Ou seja, tendo um público-alvo que será para aí 1/3 do público-alvo da SportTV, é difícil de imaginar que consigam mais subscritores, mesmo tendo um preço de subscrição mais baixo.Chegará para conseguir fazer mais de 20 e tal milhões LÍQUIDOS de lucro por ano? Talvez, mas é muito duvidoso e mesmo que sim, nunca será muito mais do q isso.Não sei se alguém ficará a ganhar com isto tudo, mas sei que há quem vai ficar certamente a perder, e não é a Olivedesportos: nomeadamente, um número de cafés e restaurantes que se vão sentir obrigados a subscrevertanto a Sport TV como a slb TV de forma a não perder clientela...in Reflexao Portista