domingo, 29 de junho de 2014

há 100 anos, um martírio

Em 1908, por cá, um Rei e um príncipe herdeiro eram assassinados pela escumalha carbonária. Durante muitos anos, pulhas de carácter moral mais do que duvidoso fizeram peregrinações aos túmulos dos criminosos que, Deus seja louvado, hão-de estar a penar. Seis anos depois, em Sarajevo, Francisco Fernando e a esposa eram igualmente martirizados às mãos do equivalente local da canalha lusitana e de outra que, durante décadas conspirou contra as casas reais europeias. Hoje inaugurou-se uma estátua do homicida. O polvo maçónico-capitalista, aparentemente, triunfou e domina hoje a Europa, mas a guerra que começou antes de 1914 ainda não terminou.

Sem comentários: