segunda-feira, 30 de junho de 2014

Mundial: França e Alemanha nos quartos de final



França 2-0 Nigéria (Pogba 79' e Yobo a.g 90'+2)


Não foi fácil. A Nigéria chegou a estar por cima, mas os franceses conseguiram confirmar o favoritismo e ficam à espera do vencedor do Alemanha-Argélia. Foi um erro de Enyeama que permitiu a Pogba desbloquear o marcador num jogo em que a França apresentou muitas lacunas no último passe. A Nigéria mostrou ser uma equipa madura e bem organizada, mas acusou o desgaste na recta final do encontro. A dupla Musa-Emenike voltou a ser um quebra-cabeças para os adversários e sai deste Mundial muito valorizada.

A Nigéria conseguiu equilibrar o jogo contra uma das equipas mais fortes da fase de grupos. A equipa surgiu concentrada e bem posicionada, conseguindo travar a dinâmica do meio campo francês durante um largo período. Só quando Pogba e Matuidi conseguiam ultrapassar Mikel e Onazi é que a turma de Deschamps conseguia criar perigo, e num desses lances o médio da Juventus viu Enyeama negar-lhe o que seria um grande golo. Do outro lado, Musa e Emenike deixaram a defensiva francesa em sentido. Os nigerianos até bateram Lloris, mas o golo de Moses foi invalidado por um fora de jogo no limite. Na segunda parte, a França entrou com uma atitude muito passiva e os africanos, mais acutilantes, superiorizaram-se e podiam ter marcado (Lloris esteve atento). A mudança no jogo deu-se com a entrada de Griezmann e a passagem de Benzema para a zona central. Os europeus voltaram ao comando da partida e chegaram à vantagem na sequência de um canto, com Pogba a aproveitar um mau alívio de Enyeama. Já em cima do final, Yobo fez um auto-golo quando Griezmann se preparava para marcar.


França - Foi a pior exibição até ao momento, muito por culpa de Deschamps. A opção inicial, com Giroud e Benzema, não deu resultado ofensivamente (fez falta um jogador como Griezmann a aparecer entre linhas) e prejudicou a equipa defensivamente, já que o jogador do Real Madrid não defendeu e permitiu a Ambrose ter uma auto-estrada no flanco direito. O técnico francês foi a tempo de corrigir o erro, mas fica o aviso para a próxima eliminatória. Individualmente, Pogba fez uma exibição algo intermitente mas quando aparecia no jogo fazia a diferença com a sua capacidade de passe e transporte, tal como Matuidi. Benzema fez o jogo menos conseguido, aparecendo menos e cometendo muitos erros no passe. Valbuena esteve em bom plano e foi mesmo o elemento que esteve mais assertivo no último terço. Defensivamente, para além da segurança de Lloris, Varane e Koscielny fizeram uma exibição impecável, bem como Debuchy, que sempre que se integrava no ataque criava desequilíbrios. Evra sofreu bastante com a velocidade dos nigerianos, muito por culpa da falta de apoio de Benzema.

Nigéria - Excelente réplica dos africanos. Se não fosse o erro de Enyeama (não merecia e até fez várias defesas espectaculares) até podiam ter conseguido o prolongamento. Keshi montou bem a equipa, conseguindo anular durante a maior parte do encontro as subidas dos laterais franceses (Musa e Moses estiveram bem nas tarefas defensivas), pressionando a saída de bola e aproveitando a superioridade numérica no corredor direito para criar perigo. Ambrose fez um grande jogo, apoiando muito bem o ataque. A dupla Musa-Emenike voltou a causar imensas dificuldades ao adversário com a sua potência, velocidade e, ao contrário de muitos jogadores africanos, boa capacidade de decisão. Odemwingie também surpreendeu, recuando bastante e dando critério à posse de bola da equipa.




Alemanha 2-1 Argelia (a.p,)

Não estava nas previsões, mas a Argélia deu muito trabalho à Alemanha, a ponto de ter pairado a hipótese de uma enorme surpresa. Os germânicos precisaram de um prolongamento para vencer os argelinos (2-1) e seguirem para os quartos-de-final, fase em que vão defrontar a França.
Depois de 90 minutos sem golos, Schurrle quebrou a resistência da Argélia, ao marcar logo no início do prolongamento. O jogador do Chelsea marcou de calcanhar, após um cruzamento de Müller.
No penúltimo minuto do prolongamento, Özil marcou o segundo golo e logo a seguir Djabou reduziu para a Argélia.
Com a vitória por 2-1, a Alemanha garante pela 15.ª vez seguida a presença entre os oito melhores de um Mundial de futebol.

Sem comentários: