sábado, 26 de julho de 2014

Sobre as últimas declarações do Dalai Lama


O Dalai Lama, máxima autoridade espiritual do Tibete, esteve seis dias de Junho em Itália, onde levou a cabo diversos encontros espirituais e discursos vários. Num destes encontros foi questionado, por alguém na assistência, a respeito do grave problema da imigração em Itália.
O tibetano respondeu assim:

«Os imigrantes aqui são demasiados. Vocês devem ter a coragem de dizer basta. 
Costuma dizer-se que os refugiados estão a fugir de algo mas o bom coração não é suficiente para dar-lhes refúgio e temos de ter a coragem de dizer quando são demasiados, bem como de intervir nos seus países para construir aí uma sociedade melhor. Não se pode pensar que o acolhimento dos imigrantes é solução para resolver o problema. Os Italianos, principalmente os Sicilianos, estão a demonstrar um grande coração, mas para resolver o problema dos refugiados é necessário intervir nesses países e envidar esforços para superar as guerras, frequentemente de fundo religioso, e ajudar a superar a enorme brecha entre ricos e pobres para construir uma sociedade melhor. Isto necessita de um pensamento a longo prazo para conseguir algo realmente eficaz.»

Ora o Dalai Lama é personagem mais que grata a nível mediático em geral. Recebeu o Prémio Nobel da Paz em 1989 e mais de cento e cinquenta reconhecimentos (prémios, doutoramentos honoris causa, etc.). Claro que um alógeno não tem de ser tido nem achado no que toca à política europeia, por mais prémios que receba, bem entendido, mas a questão não é essa. O que realmente tem graça aqui é que o Dalai Lama é actualmente um dos gurus da politicagem correcta dominante no Ocidente, pouco abaixo de Mandela ou de Gandi... Não há nenhum ocidental dado como «bem-pensante» e amante da humanidade e auto-proclamadíssimo cidadão do mundo que não teça loas à figura do dito tibetano assim que em tal indivíduo se fala. O silêncio me(r)diático tuga a respeito destas declarações, o silêncio dos mé(r)dia dominantes cá no burgo, torna-se por isso particularmente divertido. Quem diria que o amadíssimo Dalai Lama havia de dizer sobre a imigração o mesmo que dizem os nazis e xenófobos e fascistas e até mesmo porcos fassistas, quem diria...

Em Itália as declarações tiveram repercussões. Mario Borghezio, da Liga do Norte, congratulou a claridade do pensamento do líder tibetano, em contraposição à do papa Francisco, que abriu as portas das igrejas e conventos da Sicília aos imigrantes, independentemente de serem legais ou ilegais.

Sem comentários: