domingo, 16 de novembro de 2014

WhatsApp apresentada como prova em 40% dos casos de divórcio em Itália



Em 40% dos processos de divórcio em Itália, a aplicação para troca de mensagens WhatsApp foi apresentada como prova de que um dos elementos do casal era infiel. Segundo um estudo de uma associação de advogados, a aplicação é uma das muitas ferramentas de tecnologia que facilitam actualmente a infidelidade.

O estudo da Associação de Advogados Matrimoniais italiana é citado pelo jornal The Times, que falou com o presidente do organismo, Gian Ettore Gassani. Ao diário, o advogado afirmou que as “redes sociais levaram ao aumento da traição em Itália, ao torná-la mais fácil, primeiro através de texto, depois do Facebook e agora da WhatsApp, que está a ser largamente usada e encorajou o regresso do amante latino”.
O estudo concluiu, segundo Gassani, que através da aplicação e mensagens os infiéis conseguem manter vários relacionamentos extraconjugais ao mesmo tempo. “Os amantes podem agora trocar imagens atrevidas de si próprios e temos assistido a adúlteros que usam o serviço para manter três ou quatro relações - é como dinamite."
A WhatsApp, que conta actualmente com cerca de 600 milhões de utilizadores, foi adquirida em Fevereiro pelo Facebook. Em Itália, 81% dos utilizadores de iPhones usam todos os meses a aplicação. Na semana passada, a WhatsApp passou a informar os seus utilizadores quando as suas mensagens são lidas, através de uma notificação a azul, o que torna mais difícil alegar que não se viu uma mensagem comprometedora.

Para o advogado italiano, a melhor forma de os parceiros adúlteros se verem excluídos de situações embaraçosas é deixar o telemóvel no silêncio. "A minha mensagem para o adúltero é ‘seja prudente’, uma vez que se torna mais fácil a traição, a WhatsApp também torna mais fácil ser apanhado", considerou ao The Times.

Sem comentários: