domingo, 7 de dezembro de 2014

Brigada feminina do ISIS aterroriza sírios



O Estado Islâmico (EI) instituiu uma força policial do sexo feminino, cuja missão é garantir uma sociedade shariah-compliant e gerenciar bordéis abastecido com mulheres iázidis que foram forçadas à escravidão sexual.
O grupo diz-se ser chamada Brigada Al-Khansa. A unidade só de mulheres esconde declaradamente armas de aplicação, tais como armas de fogo e facas sob seus revestimentos de corpo inteiro islâmicos. Eles são baseados fora de Raqqa, que tem sido descrita como a capital do ISIS, na Síria.
As mulheres muçulmanas britânicas que viajaram para a região orgulhosamente ostentavam nas redes sociais um comportamento primitivo exibido pelas patrulhas do sexo feminino ISIS em Raqqa, detalhando como elas realizam espancamentos sem motivo e asseguram que as meninas iáziges mantenham um comportamento adequado, enquanto escravizadas, relata o Daily Mail.

A patrulha da polícia já teria batido muitas vezes a mulheres que não vestem correctamente o véu islâmico, e outros que estavam usando sapatos que não eram apenas negros.
Al-Khansa empresta seu homônimo de um poeta que viveu no mesmo tempo que o profeta Mohamed, de acordo com a escritura islâmica. Al-Khansa traduzido do Inglês como "mãe de muitos mártires."
Separadamente, os militantes ISIS continuaram se aproximando de uma base aérea síria no leste do país. Na quinta-feira, os relatórios afirmaram que dezenas de soldados sírios e jihadistas do ISIS foram mortos em combate. A base aérea tem sido usada como uma plataforma para ataques contra cidades ISIS-ocupados e aldeias em toda a região. Caso a queda base aérea nas mãos de ISIS, os jihadistas guerreiros santos espera enfrentar muito menos resistência em suas operações regionais futuras.

@google.translate

Sem comentários: