terça-feira, 9 de dezembro de 2014

China baniu as chamadas para orações islâmicas



Enquanto que os países não-muçulmanos estão experimentando a verdadeira agenda dos islamistas: estabelecer um Estado islâmico no qual os incrédulos são subjugados ao domínio islâmico e terão de pagar jizyahpara ser cidadãos.
No entanto, um país reconheceu rapidamente a ameaça de islamização e tomou medidas para impedir o crescimento de tais demandas.
A região de Xinjiang, no oeste da China proibiu oficialmente reuniões de oração muçulmanas e outras práticas religiosas em prédios do governo, escolas e escritórios de negócios, noticiou o Times Of India.
Multas exorbitantes foram impostas sobre o uso de telefones celulares e internet por conteúdos que possam "prejudicar a unidade nacional", que significa propaganda islâmica será punido.
Funcionários afirmam que tal propaganda pode ameaçar a estabilidade social ou incitar o ódio étnico, ao contrário que é a ideia da US do Islã.
Toda a atividade religiosa, incluindo orar, será restrito a mesquitas designadas.
Outra regra é que os muçulmanos não podem usar roupas ou logotipos associados ao extremismo. 
A nova lei afetará imediatamente empregados muçulmanos, muitos dos quais requerem cinco pausas para oração a cada dia, em seus locais de trabalho. Seus telefones pessoais também não podem ser usados para estudar o Alcorão ou praticar hinos religiosos.



Sem comentários: