quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Meu caro Rui Tavares

Helena Matos in Blasfémias
Não pague a dívida do Livre. Não se sujeite à tirania dos bancos. Não vergue diante do euro. Chegue ao banco e diga: há uma outra forma de fazer política. O Livre vai crescer e então pagaremos. Não podemos cortar as pernas a esta esquerda, não podemos cercear a alternativa para pagarmos aos banqueiros, para prestarmos tributo à Merkel.

E sobretudo não queira viver da caridadezinha (chamam-lhe crowdfunding mas o que é o crowdfunding senão a esmolazinha?) Que você assalte bancos entende-se. Que lhes peça emprestado dá que pensar ( eu, por exemplo, não confio neles a ponto de lhes hipotecar a minha vida). Mas que lhes queira pagar o que deve é que é uma traição a todo o seu pensamento. Assim não se constroem alternativas à tirania do capital.

Sem comentários: