segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Mundo estaria melhor com Saddam e Kadhafi no poder

A24: Mais uma vez, Trump coberto de razão 

O mundo estaria melhor se os antigos ditadores iraquiano Saddam Hussein e líbio Muammar Kadhafi ainda estivessem no poder, considerou Donald Trump, à frente das sondagens sobre as primárias republicanas para 2016 nos Estados Unidos, numa entrevista divulgada hoje.
"Sem qualquer dúvida", respondeu o milionário norte-americano face à questão posta por um jornalista da CNN.
Saddam Hussein e Muammar Kadhafi foram derrubados em 2003 e 2011 respetivamente, durante intervenções militares conduzidas ou apoiadas pelos Estados Unidos.
"Vejam a Líbia. Vejam o Iraque. Antes não existiam terroristas no Iraque. Ele (Saddam Hussein) matava-os logo. (O Iraque) tornou-se agora a universidade de excelência do terrorismo", justificou Trump.
"Francamente, já não há mais Iraque ou Líbia. Estão despedaçados. Não há controlo. Ninguém sabe o que se passa", adiantou.
O candidato republicano considerou que os Estados Unidos são confrontados com um regresso à "época medieval" com a violência no Médio Oriente de uma brutalidade sem precedentes "desde há milhares de anos".
"As pessoas são decapitadas, as pessoas são afogadas em gaiolas", precisou. "É por isso que quero reforçar o nosso exército. Precisamos mais dele hoje que no passado", disse, adiantando: "a doutrina Trump é simples: é a força".
Segundo Trump, "a Líbia é uma catástrofe. O Iraque é uma catástrofe. A Síria é uma catástrofe. Todo o Médio Oriente. Isto explodiu sob (ex-secretária de Estado norte-americana) Hillary Clinton e (presidente Barack) Obama".
Sobre Hillary Clinton, chefe da diplomacia dos Estados Unidos de 2009 a 2013 e candidata democrata às presidenciais de 2016, Trump declarou não a considerar "uma inimiga".
"É uma adversária. Pode facilmente ser batida se for referido o balanço" do seu trabalho, disse.

Sem comentários: