segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Os países que mais horas trabalham, são os que menos recebem

A24: Síndrome lusitano

Via Notícias ao minuto

O Dinheiro Vivo cruzou dados sobre os salários médios de 31 dos membros da OCDE com as horas de trabalho médias de cada país e concluiu que a tendência predominante é quanto mais horas se trabalha, menos se recebe.
A tese baseia-se nos números divulgados pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), que não apresentam uma proporcionalidade direta entre os dois indicadores, mas sim uma tendência aqui evidenciada.
Por exemplo, o México é o país onde mais horas se trabalha em média: 2.200 horas por ano, mas também onde se recebe menos, surgindo na última posição do ranking salarial, com 12,8 mil dólares anuais.
Um valor muito longe dos 61,5 mil dólares ganhos no Luxemburgo, país onde cada trabalhador cumpre em média 1.649 horas anuais de trabalho.
Em Portugal pagam-se os sétimos piores salários entre países analisados (23,9 mil dólares por ano, em média) mas os portugueses são também os sétimos que mais trabalham entre os mesmos países (1.857 horas por ano, em média).

Sem comentários: