terça-feira, 19 de abril de 2016

A homenagem da Geringonça ao ditador Hugo Chevez

Via O Insurgente 
Alfragide faz História. O momento glorioso da profunda união e irmandade que une os povos de Portugal e da Venezuela nas pessoas da Presidente da Câmara Municipal da Amadora, Carla Tavares e do Embaixador venezuelano.

Um dia antes da útil inauguração da estação de metro na Reboleira (temos de aprender a viver sem carro) que liga os comboios da linha de Sintra à rede de Metro, a Câmara Municipal da Amadora, descerrou a placa toponímica Praça Hugo Chávez, na freguesia de Alfragide. A cerimónia que animou os admiradores de ditaduras populares -mesmo os mais adormecidos-, foi abrilhantada pelo senhor Embaixador da Venezuela em Portugal, o General en Jefe Lucas Rincón Romero.
O ditador imortalizado na placa de Alfragide levou à miséria o seu país regressou em espírito a Portugal e calou os pessimistas que o apontam como o responsável máximo pela falência de um país rico em petróleo, onde se deixou de trabalhar às Sextas para poupar energia, em que os supermercados oferecem prateleiras vazias a quem os visita – vencidas as enorme bichas – e onde a inflacção galopa alegre e a bom ritmo para os quatro digitos.
A sua herança é, sublinhe-se, a todos os níveis, memorável: perseguição e existência de presos políticos, golpes progressistas, marcação cerrada e fecho dos media que ousam noticiar a realidade. Em jeito de conclusão: este enviado do socialismo merece todas as homenagens de quem não tem vergonha alguma.

Sem comentários: