terça-feira, 26 de abril de 2016

Presidenciais austríacas: projecção dá vitória ao candidato de direita na primeira volta

A24: Curiosamente passei o fim de semana em casa a ouvir notícias e em nenhum dos canais nacionais ouvi falar destas eleições. Era necessário que fosse um outro "Tsipras" para que a comunicação social amestrada dos interesses da esquerda, se pronunciasse. Nada de novo, portanto.

Mais uma viragem à direita de um país na Europa. Depois de 12 anos com um presidente socialista, os austríacos querem virar à direita. São 12 anos de socialismo com resultados visíveis no pais. Resultados negativos como não podia deixar de ser.

Na comunicação social em Portugal as notícias são de que um candidato de extrema direita venceu a primeira volta, ou que um candidato nacionalista teve a maioria dos votos. O jornalismo é suposto ser isento, em Portugal não é. O jornalismo pago pelos contribuintes ainda mais isento deveria ser.
O candidato do partido FPO Norbert Hofer é um candidato de um partido de direita. É tão simples quanto isso. Não é radical, não é fascista, não joga para o lado que mais lhe convier e não é de centro. É de direita! E é preciso que as pessoas de direita se assumam como isso mesmo, demonstrando às pessoas os benefícios das políticas de direita e a total vantagem da direita sob a esquerda.

"O candidato do partido FPÖ Norbert Hofer venceu a primeira volta das presidenciais na Áustria, com 35,3% dos votos e disputará a segunda volta com o ecologista Alexander Van der Bellen, indica uma projecção da televisão pública.
O candidato do partido ultranacionalista FPÖ Norbert Hofer venceu a primeira volta das presidenciais na Áustria, com 35,3% dos votos e disputará a segunda volta com o ecologista Alexander Van der Bellen, indica uma projeção da televisão pública.
Segundo a mais recente projeção da ORF feita após a contagem de 71% dos votos, Van der Bellen ficou em segundo lugar com 21,3% dos votos, à frente da candidata independente Irmgard Griss, com 18,9%.
Os candidatos da coligação governamental, formada pelo partido social-democrata SPÖ e pelo democrata-cristão ÖVP, os dois grandes partidos de poder desde 1945, ficaram afastados da segunda volta.
O candidato democrata-cristão Andreas Khol foi o quarto mais votado com 11,2% dos votos e o social-democrata Rudolf Hundstorfer ficou com 10,9%, de acordo com a referida projeção citada pela Efe.
A segunda volta das presidenciais está prevista para 22 de maio."

Sem comentários: