sexta-feira, 8 de julho de 2016

Candidato presidencial nacionalista da Áustria diz que o sue país só deve sair da UE se a Turquia nele entrar.

Via Gladius
Na Áustria, o candidato presidencial Norbert Hofer, do Partido da Liberdade Austríaco (FPO no acrónimo em Alemão), declarou que o seu país não necessitará de referendo sobre a permanência na União Europeia (UE) nem dela terá de sair, desde que a Turquia fique de fora: «Creio que as pessoas estão disponíveis para aprender, que as estruturas políticas estão disponíveis para se desenvolverem e que a Áustria irá contribuir para tornar a Europa melhor. Há uma excepção, todavia, que é se a UE decidir deixar a Turquia entrar.» Se tal acontecer, acrescentou, «será necessário perguntar aos Austríacos se querem isto.» Mais afirmou que «estou perfeitamente seguro de que o Povo Austríaco não irá aceitar a integração turca no bloco, bem como a situação em que a Áustria seja desprovida dos seus poderes a favor das autoridades de Bruxelas.»

Hofer disse também a UE tem de aprender a lição com o Brexit: «Claro que fiquei preocupado com o o futuro da UE. Respeito a decisão que a Nação Britânica tomou, todas as decisões democráticas têm de ser respeitadas. No entanto, a União Europeia tem de aprender esta lição: temos de estar a criar uma Europa para o povo, não uma Europa para os burocratas. Isto significa que temos de arranjar acordos melhores, temos de dividir os poderes entre a UE, por um lado, e os seus Estados membros, por outro, e envolver os cidadãos nestes projectos.»
Hofer tinha anteriormente dito que se poderia realizar um referendo na Áustria se a UE insistisse na centralização política.
*
Fonte: https://www.rt.com/news/349231-austria-eu-turkey-hofer/

* * *

Mais um forte partido nacionalista europeu a evoluir na lucidez para perceber que a UE até tem conserto, como já o húngaro Jobbik reconheceu, bem como, eventualmente, o VB belga...
Neste momento, o Europa das Nações e das Liberdades ainda é o grupo político mais pequeno do parlamento europeu, mas em poucos anos isso pode mudar, conforme aumentem os votos nacionalistas em diversos países europeus, mormente em França, Áustria, Holanda, Dinamarca, Suécia, Itália, Alemanha, o Estado com mais eurodeputados, em que o terceiro partido mais votado agora é o AfD, formação nacionalista quase declaradamente etnicista...

Sem comentários: