quarta-feira, 27 de julho de 2016

Suiça recusa nacionalidade a raparigas muçulmanas por estas se recusarem a nadar em piscina com rapazes

Via Gladius

A Suíça rejeitou o pedido de cidadania de duas raparigas muçulmanas por se recusarem a fazer aulas de natação ao mesmo tempo que os rapazes na escola, em Basel.
Segundo o jornal inglês Independent, como não querem cumprir as regras da escola, na qual a natação faz parte do currículo, as raparigas de 12 e 14 anos não estão aptas a tornarem-se cidadãs suíças, tendo sido negado o seu pedido de cidadania.
Alegadamente, as raparigas não queriam participar nas aulas mistas de natação porque a sua religião não permitia que se expusessem daquela forma frente a rapazes.
O pai das crianças, que foi quem as proibiu de praticar natação com rapazes, foi multado em 4.000 francos suíços (3.695 euros). O pai já tinha tido problemas com as autoridades depois de ter pedido que as suas filhas pudessem usar um véu na cabeça — petição aceite por um tribunal de liberdade religiosa.
O presidente do comité de naturalização da Suíça, Stefan Wehrle, afirmou à estação televisiva SRF que “quem não cumprir as condições, viola a lei e por isso não pode ser naturalizado”.
A Suíça tem sido acusada de racismo, depois de os eleitores suíços terem votado para que se proibisse no país a construção de minaretes — torres laterais de uma mesquita usadas para anunciar as cinco orações diárias.
*
Fonte: http://observador.pt/2016/07/01/suica-nega-cidadania-a-raparigas-muculmanas-por-se-recusarem-a-nadar-com-rapazes-na-escola/


* * *

O critério para recusar a nacionalidade neste caso parece notoriamente frágil, até traiçoeiro, uma vez que não há nada mais perigoso para a Nação do que a boa integração de alógenos, o que contribui para a miscigenação e portanto diluição da Estirpe, mas para já enquanto o pau vai e vem folgam as costas...

Sem comentários: