sábado, 17 de setembro de 2016

Suicídio Europeu

Via Bilder 
"À semelhança de Joe (que representa o trabalhador industrial americano),milhões de americanos de meia-idade perderam a narrativa da sua vida,sentem-se derrotados,sentem-se a mais. Não por acaso, os EUA estão a ser varridos por uma epidemia de suicídios. A distopia leva ao suicídio e, antes disso, ao voto em Trump. Ora,o eleitorado do "Brexit" é idêntico ao eleitorado do Trump.O norte de Inglaterra está repleto de homens como Joe Six Pack e, sem surpresa, também mergulhou na catástrofe do suicídio. Se à distopia da globalização juntarmos a questão islâmica e o politicamente correcto que vê "racismo" em qualquer crítica aos muçulmanos, ficamos com as causas do voto no "Brexit". O jovem londrino isola-se no seu iphone, no seu mural, nas suas músicas, não vai à igreja e até rejeita a ideia de pátria. Vai mais facilmente a Paris do que a Leeds, despreza os compatriotas do norte e, ao mesmo tempo, aceita a chantagem do politicamente correcto, que considera "racista" qualquer crítica aos muçulmanos. É por isso que desconfio do cosmopolitismo postiço desta geração. Nunca poderemos amar a Humanidade se desprezamos nossos compatriotas." do artigo "Suicídios" de Henrique Raposo de 3 de Julho de 2016
"A ideologia modernista, que nos impregna de abertura, de nomadismo, de cosmopolitismo,no melhor dos casos recusa ver o problema, no pior dos casos desqualifica-o, falando de "comportamento conservador". O"cosmopolitismo global" é um logro que diz respeito a uma pequena elite, aquela que viaja e acede aos mesmos meios de comunicação social, que partilha os mesmos hábitos e as mesmas práticas culturais, em suma, um "cosmopolitismo de aeroporto". É preciso ter atenção para não confundir este pequeno meio(elitista),ainda que seja muito visível,com o resto do mundo. De qualquer modo há um paradoxo: este próprio meio, que não deixa de estigmatizar as identidades de "outra época" e de enaltecer as virtudes da mestiçagem, é na realidade, muito identitário e está muito atento aos seus previlégios.O que diria ele se fosse obrigado a mudar? Há dois pesos e duas medidas: por um lado,os que falam das virtudes do cosmopolitismo são, evidentemente, os que beneficiam com o movimento da globalização; por outro,os que sofrem as consequências criticam-no e,para resistir, interessam-se mais pelo lado das identidades culturais e nacionais. Esta ideologia do "cidadão mundial" é realmente a das pessoas da "alta", daqueles que têm uma identidade bem construída e podem "caçar furtivamente" à direita e à esquerda,sem recearem ser desestabilizados. As elites são globalistas, e os povos, naturalmente, são nacionalistas. O que está em causa é este estatuto "de vanguarda" com que se enfarpelam as elites, e como este elitismo não foi posto em causa, com a democratização e a cultura de massas nos anos 60 (nota deste blogger: e não foi porque a democracia e a cultura de massas são manipuladas pelas ditas elites),ele é, na época da globalização,ainda mais arrogante."
Dominique Wolton in A Outra Globalização,livro de 2003

4 comentários:

Rick disse...

Completamente de acordo com ambos os textos(que se complementam com 13 anos de diferença),só tenho muitas dúvidas quanto ao número daqueles(sofrendo as consequências da globalização)que se "interessam mais pelo lado das identidades nacionais"(refiro-me ao caso dos países europeus),pois há muita gente que se deixa levar pela "cantiga" do internacionalismo(ainda mais hoje que em 2003,ano da publicação desse livro do Wolton)seja ele marxista ou liberal.As tais elites "cosmopolitas"(globalistas) sabem bem o que fazem e como condicionar e manipular as "massas"(o resultado está bem à vista para quem quiser ver).

Ricardo Amaral disse...

O resultado desse dito "cosmopolitismo"(multiculturalismo etc)pode ser avaliado aqui http://planetadosprimatas1.blogspot.pt/2015/09/a-sociedade-multicultural.html

A-24 disse...

O internacionalismo só é um suicidio para quem recebe não para quem exporta e a Europa está a pagar caro por isso.

Bilder disse...

Outro texto de leitura "obrigatória" https://www.facebook.com/notes/portugueses-primeiro/resposta-%C3%A0s-mentiras-do-profissional-da-caridade-rui-marques/499763016898062