quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Para pensar

A24: Já muitas vezes me questionei sobre o mesmo, e sobre o quanto, até mesmo na minha profissão, as máquinas substituem as pessoas. Tecnologia sim, mas esta ideia não é descabida de sentido!
O reitor da Universidade de Coimbra considera que as máquinas devem passar a contribuir para a Segurança Social. Disse ele que «Existe uma motivação económica enorme para a substituição de uma pessoa por uma máquina. Devia, pelo menos, haver neutralidade fiscal. Pelo menos nos casos em que objetivamente a máquina substitui a pessoa», «Não sei porque é que a máquina que substituiu as pessoas na portagem da autoestrada não paga taxa social única».

Sem comentários: