domingo, 4 de dezembro de 2016

Em dia de repetição das eleições presidenciais na Áustria

A-24: Força Norbert Hofer! Que esta autêntica revolução europeia, venha para ficar, até porque ela não é uma causa mas sim uma consequência das políticas suicidas das últimas décadas. 


4 comentários:

Bilder disse...

Politicas suicidas ainda é uma descrição suave tendo em conta o que andaram a preparar(em nome do "humanismo" e das "igualdades")para os países europeus.

João José Horta Nobre disse...

«Politicas suicidas ainda é uma descrição suave tendo em conta o que andaram a preparar(em nome do "humanismo" e das "igualdades")para os países europeus.»

Essa é que é essa!

A-24 disse...

É verdade meus caros. E infelizmente venceu mais um "europeista convicto". Caro Nobre, ainda gostaria de vê-lo a definir o que é um "europeista convicto". Nas suas palavras seria sempre interessante.

João José Horta Nobre disse...

«Caro Nobre, ainda gostaria de vê-lo a definir o que é um "europeista convicto". Nas suas palavras seria sempre interessante.»

Lol, seria mais adequado chamarem-lhe um "anti-europeísta convicto":

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/02/vivemos-hoje-numa-anti-europa.html

A derrota de Hofer na Áustria não é nada de muito importante, pois o Presidente da Áustria é um cargo meramente simbólico como é o caso do nosso Presidente em Portugal. Claro que teria sido bom se Hofer vencesse, mas não é o fim do Mundo e nem sequer representa um revês relevante para os nacionalistas europeus.

Na frente italiana conseguimos vencer:

http://www.dn.pt/mundo/interior/renzi-anuncia-demissao-apos-derrota-no-referendo-5534402.html

Não está nada mal, pessoalmente, considero que era mais importante vencermos o referendo italiano, do que as presidenciais na Áustria. Não podemos portanto falar em derrota, digamos que isto foi uma meia-vitória, que a seu tempo se transformará em vitória total.