quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

"Critérios", por Pedro Arroja

Pedro Arroja 
Um comentador observou apropriadamente acerca do meu texto anterior que ele poderia ter sido escrito por Lutero. Lutero também se insurgiu contra os intermediários - os padres, que são intermediários entre o homem e Deus.
Na realidade, o político moderno é a figura laica do pastor luterano que substituiu o padre católico, e o partido político moderno uma emanação da seita religiosa do protestantismo.

Porém, existem muitas diferenças entre o político moderno e os padre católico, mas eu só gostaria de me concentrar numa, que é a principal.

É fácil julgar um padre católico que, sendo uma imitação de Cristo, está sujeito aos critérios de Deus - a Verdade, o Bem, a Justiça, o Serviço aos outros, etc. E., na realidade, os reformadores luteranos, bem como os políticos modernos que lhes sucederam, foram implacáveis nesse julgamento.

Quanto ao político moderno, o seu julgamento está sujeito a que critérios?
Nenhuns. Não foi por acaso que uma das suas primeiras preocupações foi, e ainda é, tornar a política laica, tirar Deus da vida pública, para ele não ser julgado pelos critérios que aplica aos padres.

Sem comentários: