quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Sanções contra Rússia custam à UE 17 bilhões de euros

A-24: Nada de novo. Qualquer tomada de posição americana a nível internacional tem sempre efeitos nefastos para a Europa. Quando rebentam com o Médio oriente, são os patéticos europeus que apanham as canas e são invadidos por hordas de migrantes. Quando os EUA julgam que é preciso sancionar a Rússia pela oposição que ela lhes faz, quem perde são mais uma vez os europeus. É uma saga interminável em que os derrotados somos sempre nós. Os palhaços, que já nem sistem ade defesa têm, os palhaços que trocam o orgulho da sua civilização pela cobardia "humanitária" a troco do genocídio económico e cultural do seu próprio povo. Não admira pois, a irrelevância a nível mundial com que a Europa cada vez mais é olhada. Resta-nos o "consolo" de ainda sermos o tal "baluarte dos direitos, da igualdade e do humanismo" num mundo atroz.  De muito nos serve... 

Via Sputnik

Segundo dados divulgados, o Ocidente também perdeu com as sanções antirrussas 400 mil postos de trabalho.
As novas sanções antir-ussas de Obama foram 'presente de Ano Novo' para Trump As medidas econômicas restritivas da União Europeia e a resposta assimétrica de Moscou causaram sérios danos a 27 países europeus. A respectiva informação foi divulgada pelo WIFO, sigla que significa Instituto Austríaco de Pesquisa Econômica. O jornal austríaco informou que os especialistas do WIFO avaliaram o efeito das sanções e as contramedidas por via de estudar a estatística do ano 2015. A Europa acabou perdendo 17,6 bilhões de euro e 400 mil postos de trabalho.
 
O país que sofreu mais com as sanções foi a Alemanha, que perdeu 97 mil postos de trabalho e mais de 6 bilhões de euros. A França e Polônia também sofreram danos econômicos bastante sérios — elas perderam 1,63 bilhões e 1,36 bilhões de euros, respectivamente. Entre os outros países da UE que sentiram efeito das suas sanções estão a Itália, República Tcheca e Áustria. A última perdeu 550 milhões de euros e 7 mil postos de trabalho. Em dezembro de 2016, a União Europeia decidiu prorrogar as sanções contra a Rússia por mais seis meses — até 31 de julho de 2017.

Sem comentários: