quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Na Suécia: investigador da polícia pede a paciência e denuncia criminalidade alógena

Via: Totalitarismo Universalista





Como não podia deixar de ser, este desabafo do Sr. Springare não foi nada bem recebido pela Inquisição Anti-Racista da Suécia. É que o governo genocida daquele país tinha proibido, no início de 2016, as forças da autoridade de revelarem a identidade étnica e a nacionalidade dos criminosos "para evitar o racismo". E, com efeito, o Dr. No trouxe-nos aqui outra notícia (obrigado, Dr. No!) que, no seguimento da primeira, nos conta que:

«O departamento de investigação interna está a investigar o Sr. Springare por incitamento ao ódio racial.»

Ou seja, um investigador da polícia com 47 anos de serviço vai ser processado por dizer a verdade!!! É esta parte que é particularmente revoltante: os poucos que se atrevem a abrir a boca, são imediata e implacavelmente perseguidos!

O que nos leva novamente àquilo que eu disse a propósito do que se passou recentemente em França, algumas postas mais abaixo: os brancos nunca se juntam; a maior vergonha e tragédia desta história é não haver mais nenhum polícia sueco a juntar a sua voz à do Sr.Springare!!! Esta covardia abjecta dos agentes de polícia suecos, que já não é de agora, é a verdadeiramente criminosa, porque perpetua a criminalidade iminvasora e a mordaça imposta pelos donos do sistema!

3 comentários:

Bilder disse...

Os brancos em geral juntam-se no futebol(já nem falo dos que andam a apanhar pokemons e afins)e em manifs neomarxistas ou mesmo(no caso tuga)em manifs marxistas-leninistas.

Afonso de Portugal disse...

Obrigado pela divugação, caro A-24! Numa altura em que todas as notícias sobre a Suécia são manipuladas, faz falta ouvir quem anda no terreno!

A-24 disse...

De nada caro Afonso. É sempre um prazer e continue você também com o excelente trabalho que em desenvolvido.