segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Trump – O Paladino do Feminismo e dos Direitos LGBT

Ricardo Lima in O Insurgente 

Donald Trump, que se tem mostrado o político mais eficiente e honesto de que tenho memória, aparenta querer cumprir, já esta semana, a sua promessa de campanha de fechar as fronteiras aos refugiados sírios e de implementar uma política de restrição de vistos a migrantes de determinados países muçulmanos, através de, entre outras coisas, a avaliação das posições dos mesmos em relação a questões como a tolerância religiosa, o respeito pelas mulheres e os direitos da comunidade LGBT.
 

Com isto, Trump prepara-se para fazer mais pelas causas da esquerda numa semana que a própria em uma década. No ocidente, a esquerda vendeu-se ao admirável mundo novo da desconstrução social e a uma novilíngua que lhe tem permitido fazer marchas pelas direitos das mulheres a um Sábado e organizar manifestações em honra dos sujeitos que as apedrejam no Domingo. A mídia, sob ameaça de falência, é a banda da festa, colocando diariamente o seu peso em causas que seriam, no mínimo, olhadas com desdém por qualquer cidadão respeitável. 
O feminismo, originário de uma luta justa pelo reconhecimento do papel da mulher na sociedade, libertando-se das amarras a que fora condenada, transformou-se numa fanfarra de histéricas mal-resolvidas – para não usar outro termo – que, não reconhecendo às mulheres as capacidades que bem lhes conhecemos, fazem do ódio e da diminuição dos homens um manifesto político. Os direitos LGBT – que teimam em irritar algumas toranjas e uns quantos socialistas que vão à missa – metamorfosearam-se em paródia nas mãos de “attention seekers” recalcados que se fazem desfilar seminus e, num acesso de criatividade que demonstra o porquê de tanto “artista” aderir a estes pagodes, se convenceram da existência de um infinito número de género, irritando-se frequentemente pela descompensação mental não se ter generalizado. 
E assim, duas causas legítimas e necessárias são diariamente corrompidas pela esquerda (especialmente a académica) e pelos jornaleiros de serviço. A ambas ainda restava a esperança de que Trump fosse um Obama ou um Passos Coelho, legando grande parte do programa eleitoral às gavetas do esquecimento. Como se enganaram…

4 comentários:

Bilder disse...

Check https://paulamarisa.com/2017/02/02/trump-multiculturalismo-e-midia-globalista/

CENSURADO AGAIN disse...

OS CUCKS MEDIEVAIS FICARAM DESAPONTADOS COM ELE POIS QUERIAM AS ESPOSAS COMO SACO DE PANCADA A LA MUSLOS VIDE A LEI RUSSA E UM DO JUDICIARIO DO MERDIL QUE IDEM

A-24 disse...

Bilder, talvez venha a aproveitar alguns posts desse blogue. Obrigado pela partilha

A-24 disse...

Quanta confusão anda por aí nessa cabeça, Censurado.