quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Vendas de “1984” de Orwell disparam depois da referência aos “factos alternativos”

Via Máquina de escrever 
George Orwell

Uma das mais célebres e influentes distopias, o livro 1984 de George Orwell, originalmente publicado em 1949, surgiu esta semana entre os títulos mais vendidos na Amazon durante a última semana. Mais concretamente foi o sexto livro mais vendido da semana, ultrapassando assim inúmeros novos títulos.
Segundo o Guardian (ler aqui), este aumento de vendas surgiu como uma reação direta à menção de “factos alternativos” por Kellyanne Conway, consultora de Donald Trump, na sequência do comunicado do secretário de imprensa da Casa Branca que referia que a tomada de posse tinha tido a maior plateia de sempre, facto que as fotografias tiradas no passado dia 20 confirmam que não é verdade.
A noção de “factos alternativos” levanta, como explica o artigo do Guardian, a memória do “newspeak” a “nova língua” criada no universo distópico imaginado por Orwell.

2 comentários:

Bilder disse...

E durante todo o tempo passado entre o livro de Orwell ser publicado e a eleição de Trump não houve falsidades e realidades paralelas?Lol

Bilder disse...

Os globalistas fazem controlo mental da populaça(com todo o tipo de mentiras e meias verdades)há decadas.Um homem que sabia bem a estratégia dos globalistas foi Sutton http://plutocracia.com/videos/Antony_Sutton_Wall_Street_e_a_Ascensao_de_Hitler.html