quarta-feira, 8 de março de 2017

Ainda sobre os 60 anos da RTP



A 7 de março de 1957 tiveram início as emissões de televisão da RTP, que até aí se concentrava na rádio. Agora, passados 60 anos, vamos recordar alguns dos melhores momentos do primeiro canal português.
Desde a primeira emissão experimental na antiga feira popular, as seis décadas da RTP contaram com vários momentos que marcaram a história da televisão portuguesa.
Datas mais memoráveis:
1959 – Primeira emissão do Telejornal, a 19 de outubro
1968 – Inauguração do segundo canal, conhecido como RTP2
1972 – Estende-se para as ilhas portuguesas, começando pela RTP Madeira
1975 – Chega ao segundo arquipélago, formando a RTP Açores
1980 – Começa a emitir a cores
1992 – É lançada, no dia 10 de junho, dia de Portugal, a RTP Internacional
1998 – Começou a RTP África
2004 – inicia-se a emissão da RTP Memória. No mesmo ano nasce a RTPN, que passou depois a RTP Informação e, no ano passado foi rebatizada de RTP3.
Em março de 2004 foi inaugurada aquela que é, desde há 13 anos, a sede da Rádio e Televisão de Portugal. No mesmo ano em que RDP e RTP se fundiram numa só, Durão Barroso, então primeiro-ministro, marcou presença na inauguração do “novo espaço da estação de serviço público”. Na altura, a RTP inaugurou o maior estúdio de televisão da Europa.


A RTP tem um papel importante como arquivo da história do país, visto que foi o primeiro canal televisivo em antena. Tem em arquivo acontecimentos marcantes como a chegada do homem à Lua, a revolução de 1974 e a visita do Papa João Paulo II. Para organização deste inventário criou o site RTP Arquivo, onde se encontram inúmeros registos audiovisuais da história nacional.
Em 2016 decidiu renovar a sua imagem, e alterou o seu logótipo e também o grafismo dos sites. Não foi, porém, a primeira vez que houve uma remodelação, e ao longo das décadas foram várias a identidades gráficas.
Animated GIF  - Find & Share on GIPHY
Recentemente têm apostado no digital, com a atualização e renovação dos sites, e também lançamento de aplicações. Têm uma nova aplicação de notícias, sempre atualizada e com emissões em direto da RTP3 e da Antena 1.
Informar Portugal
O Telejornal foi o primeiro programa de informação do país e ainda se encontra no ar. É hoje apresentado por José Rodrigues dos Santos, João Adelino Faria e Cristina Esteves. Entre os nomes que já passaram por este programa encontram-se Henrique Mendes, José Eduardo Moniz, Manuela Moura Guedes, Judite de Sousa e Maria Elisa Domingues.


Para além deste, transmitem também outros programas de informação ao longo do dia, como Bom Dia Portugal, que é emitido regularmente desde 2002, e o Jornal da Tarde. Também Portugal em Direto, que está em emissão desde 2005, e é apresentado por Dina Aguiar.
Enquanto operador de serviço público, serve como palco de discussões sobre assuntos relevantes do panorama nacional e internacional, com o programa Prós e Contras. Apresentado por Fátima Campos Ferreira desde 2002, abordou temas como a guerra no Iraque, o Euro 2004, o aborto, a educação e o turismo.
60 anos a entreter Portugal
Apesar da natureza institucional a que é habitualmente associada, a RTP conta igualmente com uma vasta programação de entretenimento. Invocando um lado mais patriota, distinguimos algumas das produções originais, entre as várias aquisições de célebres conteúdos internacionais.
Em 1958, um ano antes da primeira emissão do mais antigo programa informativo da RTP, o Telejornal, surge o primeiro concurso de cultura geral da emissora nacional pública. Quem sabe, sabe era apresentado por Artur Agostinho e Gina Esteves. Curiosamente, Raúl Machado, um dos vencedores do programa, tornar-se-ia célebre pelo seu próprio programa televisivo, Charlas Linguísticas, com estreia no mesmo ano.
Seguindo o registo dos concursos televisivos, quem é que não conhece O Preço Certo? Adaptado de um formato americano, o programa foi emitido pela primeira vez em Portugal em 1990. Sim, já passaram quase 30 anos! No entanto, o programa foi interrompido entre 1993 e 2002 e, novamente, entre abril de 2006 e setembro do mesmo ano.
Preço Certo
Apesar de ser impossível não pensar em Fernando Mendes quando se menciona O Preço Certo, a verdade é que o apresentador não foi o único rosto do concurso. Carlos Cruz, Nicolau Breyner e Jorge Gabriel antecederam-no no mesmo ofício. É em 2003 que Mendes assume definitivamente este papel, atraindo, desde então e diariamente, uma audiência fiel ao canal.
Entre os concursos mais famosos e dos quais, com certeza, te recordarás destacamos, ainda, Palavra puxa palavra, com apresentação de António Sala, Um, dois, três, apresentado por Carlos Cruz, e mais tarde por Teresa Guilherme, e o Elo Mais Fraco, apresentado por Pedro Granger. Mais recentemente destacam-se Quem quer ser milionário – Alta Pressão e o presente certame Brainstorm.
Em 1964, nasceu o Festival da Canção, uma competição nacional que procura selecionar a música que representará Portugal no Festival Eurovisão da Canção. Portugal nunca chegou a vencer mas obteve algumas boas classificações, como Lúcia Moniz no sexto lugar, e José Cid em sétimo. Apesar das recorrentes polémicas, o festival mantém-se e este ano completou mais um aniversário.
Mas o entretenimento não se extingue em concursos e competições nacionais.
Quase 25 anos depois da primeira emissão do Quem sabe, sabe, a RTP estreia, em maio de 1982, a primeira novela portuguesa, Vila Faia. Do seu elenco faziam parte Nicolau Breyner, Ana Zanatti e Ruy de Carvalho.
Palavras Cruzadas, Roseira Brava, Paixões Proibidas e Água de Mar são algumas das produções originais que compõem a lista das mais populares telenovelas portuguesas, emitidas pela RTP.
A rádio teve um papel crucial na concretização da histórica Revolução dos Cravos. Contudo, foi na televisão que surgiram os mais célebres programas de entretenimento no período do PREC (Processo Revolucionário em Curso). Com um notável caráter sociopolítico, não podemos deixar de destacar o memorável Nicolau no País das Maravilhas, com estreia a 1975.


E se o nomearmos é impossível não relembrar, também, as populares personagens Sr. Feliz e Sr. Contente, interpretadas por Herman José e Nicolau Breyner, respetivamente. Mais de quatro décadas depois há quem ainda recorde o refrão que lançou esta dupla carismática.
Não se esqueceu a história, com José Hermano Saraiva, que a contava como mais ninguém. Teve programas no canal desde 1972, e o de maior duração, A Alma e a Gente, passou na RTP2. Neste, apresentava-se a biografia de vários portugueses notáveis.
Júlio Isidro, cuja estreia na televisão foi como integrante do coro do Liceu Camões, é uma presença constante. Apresentou inúmeros programas infantis, mas também programas da tarde, como O Passeio dos Alegres. Atualmente, continua a fazer pequenas aparições como no recente Festival da Canção.
A RTP destacou-se também no humor, com programas como Contra Informação, Herman 98, Tele rural e Diz que é uma espécie de magazine, com assinatura dos Gato Fedorento. Fugindo um pouco ao registo da sátira política, mas não deixando de se manter fiel à crítica social, distinguem-se, ainda, Os Contemporâneos e O último a sair, contando ambos com a participação do humorista Bruno Nogueira.
O 5 para a meia-noite, com transmissão original na RTP2, passou a integrar a programação da RTP1 em 2012 e é um dos maiores sucessos do canal. Para os mais esquecidos, relembramos que o programa, atualmente apresentado por Filomena Cautela, teve um spin-off em rádio, emitido na Antena 3 e denominado 5 para a uma.
Por esta altura a apresentadora era acompanhada por Fernando Alvim, Nilton, Luís Filipe Borges e Pedro Alvim. No entanto, o programa contou, ainda, com a participação de Carla Vasconcelos, Luísa Barbosa, Zé Pedro Vasconcelos e Nuno Markl.
Vitinh
Decidimos deixar o melhor para o fim e, por isso, relembramos uma personagem inesquecível, consensual entre toda a família. Referimo-nos ao popular Vitinho, protagonista da série original de desenhos animados, transmitida em horário nobre durante mais de uma década, Boa noite, Vitinho!
Criado por José Maria Pimentel, Vitinho foi a companhia de várias crianças que ansiosamente aguardavam a sua aparição antes de adormecer. Homenageando esta personagem adorável que marcou a infância de inúmeros portugueses, hoje despedimo-nos desejando: boa noite, Vitinho!

Sem comentários: