segunda-feira, 17 de abril de 2017

O poder norte-coreano

José António Rodrigues Carmo 




É o exército norte-coreano um inimigo formidável?
Em número sim.
Tem milhões de homens em armas e pode facilmente mobilizar quase toda a população que, doutrinada por gerações de propaganda, tenderá a seguir o líder.
Ocupar um país assim, é impossível.
Mas se olharmos para o equipamento, sistemas de comando e controlo, e capacidade de sustentação, as forças armadas norte-coreanas não se aguentam numa campanha mais ou menos prolongada contra o seu vizinho do sul, em que tenham de projectar forças.
A sua aviação não tem qualquer possibilidade nem sequer de garantir domínio local do espaço aéreo por curtos períodos de tempo. É muito provável que seja destruída assim que se atreva a descolar.
Os seus carros de combate são versões de carros russos e chineses de há quase meio século. Não têm qualquer capacidade de se empenhar numa guerra de movimento com um adversário tecnologicamente mais avançado, como é o caso da Coreia do Sul. É provável que as formações de carros sejam destruídas como formigas, por ataques aéreos e de helicópteros, como aconteceu com as divisões blindadas iraquianas.
A única coisa que os norte-coreanos têm em condições de causar grandes estragos é a artilharia, que pode alvejar grandes metrópoles sul-coreanas até ser destruída, os foguetões, e as armas químicas e nucleares.
O problema com estas últimas, é que o seu uso, que certamente causará milhares de mortos na Coreia do Sul, acarretará a destruição total da Coreia do Norte.
Armas nucleares e químicas são apenas dissuasoras. Destinam-se a não ser usadas porque aquele que as usar contra um adversário que as tem, sabe que a sua destruição está assegurada.
Um simples míssil com ogiva química despejado sobre a Coreia do Sul, levaria à inevitável incineração de todos os alvos norte-coreanos e os seus dirigentes sabem isso muito bem.
Em suma, a Coreia do Norte não tem real poder militar, não tem capacidade económica para sustentar uma guerra e toda a sua gesticulação se baseia no facto de poder causar um grande dano inicial à Coreia do Sul. Funciona no registo psicológico do bombista que quer fazer os outros acreditar que é suicida.

Sem comentários: