quinta-feira, 25 de maio de 2017

Países Com Mais Refugiados Têm Mais Ataques Terroristas

 Via Fuga da caverna

Os globalistas que comandam os governos e os meios de comunicação na Europa nunca irão admitir a verdade sobre a crise dos refugiados. Eles nunca irão admitir que existe uma ligação direta entre abrir as fronteiras de sua nações às pessoas de nações caóticas e de terríveis ataques terroristas. Eles estão constantemente tranquilizando seus cidadãos de que eles não têm nada com que se preocupar com os refugiados que vêm de regiões propensas ao terrorismo, e sugerir o contrário é considerado racista e islamofóbico.

De fato, ao invés de admitir que a comunidade de refugiados está cheia de simpatizantes terroristas, e que este é um problema que precisa ser resolvido, o globalista tentam normalizar o terrorismo.

Na Suécia, o governo tenta reabilitar e reintegrar os combatentes do ISIS que retornaram ao seu país. Eles dão-lhes livre “habitação, emprego, educação e apoio financeiro” ao invés de deixá-los na cadeia. E no Reino Unido, o prefeito de Londres, Sadiq Kahn, tentou convencer todos que os ataques terroristas são “parte integrante da vida em uma cidade grande”.

Na realidade, o terrorismo não é uma parte normal de viver em uma cidade grande ou em qualquer outro lugar, e certamente não deve ser tratado como normal. Em vez disso, a origem desses ataques deve ser estudadas. E a principal fonte de terrorismo no mundo ocidental é claramente os milhões de imigrantes que chegaram nestes países. A prova deste fato é na forma de mapa que você nunca verá em qualquer canal de notícias ou publicação “oficial”.

Abaixo está uma imagem que mostra cada ataque terrorista, tentativa ou confirmado que ocorre na Europa desde 2012. Consegue notar algo?

As nações que se tornaram os destinos mais “populares” para os refugiados, são também as nações com mais ataques terroristas. França, Alemanha, Suécia e Reino Unido estão repletos de incidentes terroristas. Entretanto, os países que não acolheram tantos refugiados, como a Polônia, a Eslováquia e os países bálticos, têm muito poucos ataques terroristas ou nenhum.
Se você clicar no link fornecido acima da imagem, e percorrer o mapa, você verá que existem apenas alguns países europeus que enfrentaram numerosos incidentes relacionados ao terrorismo, apesar de não admitir muitos refugiados. Há a Irlanda, onde a maioria desses pontos vermelhos e laranja parecem ser frustradas ataques a bomba; Muito provavelmente relacionados com dissidentes irlandeses. Na República Checa, o punhado de tentativas de ataque foi causado por radicais esquerdistas. E na Ucrânia, a maioria dos ataques está relacionada com a luta interna dessa nação com os separatistas russos.

Obviamente há uma ligação entre admitir inúmeros refugiados do Oriente Médio e ataques terroristas domésticos. O governo americano também sabe disso. Por exemplo, alguns dias antes de o diretor do FBI, James Comey, ser demitido por Trump, ele se apresentou perante um comitê do Senado e admitiu que 15% das investigações relacionadas ao terror envolvem refugiados. Esse é um número chocante quando se considera que os EUA admitiram 85 mil refugiados no ano passado e que a porcentagem da população que se consideraria refugiada é provavelmente inferior a 1%.

A solução para este problema é óbvia, e é uma solução que os globalistas ocidentais nunca considerarão. Ou examinam cuidadosamente refugiados que querem fugir para os países, ou não os deixam entrar.

1 comentário:

Afonso de Portugal disse...

Ora aqui está mais uma realidade inconveniente que toda a Esquerda e grande parte da nossa "direitinha" preferirão ignorar...